Feeds:
Posts
Comentários

Livre tradução para o português por Livia Castrioto, original em inglês clique aqui. // Free translation English-portuguese by Livia Castrioto. Original in English by Motorsport.com

Este slideshow necessita de JavaScript.

O colunista do Motorsport.com Nelson Piquet Jr fala sobre o sucesso e o título da primeira temporada da Formula E ganho por apenas um ponto de diferença na final, em Londres

Bem, o que posso dizer? Já se passaram cinco dias desde que eu me tornei campeão da primeira temporada de Fórmula FIA E, eu ainda não tive tempo para assistir a corrida e já estou de volta nos EUA pois outra corrida neste fim de semana na Global Rallycross – sem descanso para mim!

Em primeiro lugar, para falar sobre Londres como um todo: a ideia da Fórmula E de colocar a corrida no Battersea Park foi incrível. O parque estava lotado, fico imaginando como será dentro de dois ou três anos. Me assusta pensar o quão grande isso pode ficar!

Eu não sabia que eu tinha ganho o campeonato

Sobre o campeonato, eu levei cerca de meia volta após a corrida no domingo até que me disseram no rádio que eu havia sido campeão!

É impossível explicar a sensação, eu tive de pedir para ouvir novamente para ter certeza que aquilo era real e foi uma emoção incrível, é difícil de colocar em palavras. Definitivamente não foi um caminho fácil para chegar lá naquele fim de semana!

Chegamos em Londres 17 pontos à frente, mas eu sabia que, com 60 pontos em disputa, que não seria fácil. Senti que Sebastien Buemi era a real ameaça, embora houvesse seis de nós matematicamente ainda com chances.

Ele provou que poderia ser ainda mais difícil do que eu imaginava…

A vitória de Buemi tornou tudo mais difícil

Ficou tudo muito mais difícil depois de sábado, com Sebastien vencendo a corrida. Ele diminuiu a diferença para cinco pontos e vimos no sábado que a classificação foi a parte mais importante da corrida. Battersea Park é complicado, é o tipo de pista que todos nós gostamos, mas era quase impossível ultrapassar, a corrida no sábado foi praticamente decidida na classificação.

Com base nesse conhecimento, o treino de classificação no domingo para a segunda corrida não poderia ter sido pior. Eu fui sorteado para o grupo 3, geralmente é um dos melhores grupos pois a pista tende a ficar mais rápida através dos grupos.

Mas boa velha Inglaterra decidiu abrir os céus com chuva em meu grupo de qualificação, enquanto estava seco para os outros três.

Eu acho que deve ter sido o carma por todas as vezes eu me queixava de chuva na Inglaterra! Eu prometo que eu nunca vou reclamar de novo!

Eu me classifiquei em 16º lugar na manhã de domingo com Buemi em sexto. Eu estava pensando que as coisas não poderiam ficar piores e a corrida ia ser uma tarefa muito difícil.

Tomando um positivo de um negativo

O lado positivo disso é que tirou um pouco da pressão de cima de mim, eu não tinha mais nada a perder. Eu estava na parte de trás do grid e por isso tivemos uma estratégia agressiva, fui com tudo para ver o que poderíamos fazer.

A equipe me disse para fazer o meu melhor e nós tomamos a decisão de que eu perguntaria e eles não me diriam nada sobre o campeonato durante a corrida.

Eu apenas tive que largar e fazer o meu trabalho, e foi isso que eu fiz. No final, fiquei sabendo que eu ganhei por apenas um ponto! O título não poderia ter vindo mais apertado, mas estou tão feliz que tenho vindo.

O fim de uma longa jornada

Foi uma longa jornada e este campeonato foi muito difícil. Antes da temporada eu trabalhei muito para conseguir uma vaga, estava muito difícil. Eu só descobri duas semanas antes da temporada que NEXTEV TCR me daria um contrato, e ainda assim, era apenas para cinco corridas e graças ao meu patrocinador Qualcomm.

Então nós tivemos uma batalha no início da temporada, porque, como uma equipe, estávamos completamente perdidos, tínhamos e muito a recuperar e muito o que fazer. Se alguém tivesse me dito que eu iria ganhar este campeonato, eu não teria acreditado, eu ficaria chocado até mesmo de ter um pódio até o final do ano, mas as coisas mudaram rapidamente.

Eu me adaptei ao carro muito bem, temos um time de mecânicos e engenheiros que realmente trabalharam duro, confiaram e acreditaram em mim. Nós continuamos a trabalhar, investir e as coisas foram ficando melhores a cada corrida.

Uma vez que chegamos a nossa primeira vitória em Long Beach, percebemos que tínhamos uma chance de ganhar o campeonato. Foi incrível.

Obrigado pessoal!

Graças a Steven Lu, Adrian Campos e a equipe toda por trás do NEXTEV TCR por acreditar em mim e obrigado ao patrocinador da equipe Omnigear e todos que tem nos apoiado. Muito obrigado também a Qualcomm, que nos ajudou no início.

Eu também tenho de agradecer aos meus patrocinadores pessoais: Qualcomm, Visa, Claro, Autotrac, Câmeras Ion, Mouser, 100%, Alpinestars e Bell Capacetes. Eu não poderia conquistar o título sem eles.

E é graças a você também

Eu também preciso agradecer aos fãs incríveis, ganhei as FanBoost seis vezes este ano e realmente ajudou muito, por isso, obrigado a todos que se envolveram a apoiaram.

Este é um dos meus melhores sucessos, acho que até foi o maior sucesso. E abriu minha carreira novamente pois eu fui capaz de mostrar o meu potencial no cenário mundial.

No NEXTEV TCR nós mostramos que, se você colocar um bom grupo de pessoas unidas, você é capaz de lutar contra os fabricantes, você só precisa ser inteligente.

Gostei de saborear essa vitória por alguns dias, mas agora estou direto de volta para o trabalho com o campeonato global de Rallycross esta semana no MCAS New River, na Carolina do Norte.

Meu trabalho é correr e vencer e eu não faria isso de outro jeito!

Ford Fiesta ST #07 recebe as cores da bandeira americana para quarta etapa do Red Bull Global Rallycross, disputada neste fim de semana em base militar na Carolina do Norte

clt grc

Uma semana depois de sua consagração como o primeiro campeão mundial da história da Fórmula E em Londres e de quebrar um jejum de 24 anos de títulos do automobilismo brasileiro em competições globais chanceladas pela FIA, Nelson Piquet Jr retorna ao Red Bull Global Rallycross Championship “com o carro do Capitão America”.

A quarta etapa da temporada 2015 do GRC será disputada no fim de semana em que os americanos celebram sua data nacional (4 de julho), em circuito de 1,58 km montado dentro da base militar de New River, na Carolina do Norte. É a primeira vez na história que uma competição automobilística acontece dentro de uma instalação militar ativa em território norte-americano.

Para marcar o momento, a equipe SHR Ralycross estreia um novo layout, “All American”, no Ford Fiesta ST #07. Com a marca Haus Personal Vaporizer como patrocinadora principal, a máquina comandada por Piquet Jr estampará as estrelas e listras da bandeira dos Estados Unidos.

“O layout ficou bonito e espero contar com a simpatia dos americanos, que são muito patriotas. Vamos trabalhar para o carro ser bem rápido na classificação e nas preliminares. Assim conseguiremos uma posição de largada mais favorável na semifinal, para evitar as batidas do meio do pelotão”, observou Nelsinho Piquet, residente em território norte-americano desde 2010.

Este é o sétimo fim de semana consecutivo do piloto em ação nas pistas. Além de provas da Fórmula E e do GRC ele disputou uma rodada dupla da Indy Lights em Toronto no período.

No sábado acontecem os treinos livres, a tomada e a primeira bateria eliminatória. No domingo estão programadas a segunda rodada de eliminatórias, as semifinais, a respescagem e a finalíssima.

Nelsinho Piquet é um dos raros pilotos que participaram de todas as finais em 2015. Quarto colocado na temporada passada, sua primeira completa no rallycross, o brasiliense ocupa a quarta posição no GRC após três eventos neste ano.

Red Bull Global Rallycross Championship – Classificação (top10):
1. S. Eriksson 137 pontos
2. K. Block 129
3. T. Foust 120
4. N. Piquet Jr 106
5. A. Dyne 103
6. S. Arpin 101
7. S. Speed 76
8. J. Wiman 65
9. P. Sandell 35
10. S. Isachsen 29

Programação domingo, 5 de julho

  • Warm-up => 12:40
  • Eliminatórias 2 => 14:25
  • Semifinais => 15:40
  • Repescagem (caso necessário) => 16:50
  • Final => 17:55

Bom pessoal, primeiramente peço desculpas por não ter postado nada no blog sobre o título do Nelsinho… Tenho tido pouco tempo para mexer no computador por problemas pessoais, mas antes tarde do que nunca hehe. Segue uma lista com vários vídeos das corridas de Londres onde o Nelsinho se sagrou o primeiro campeão da história da Formula E. Esse foi o primeiro campeonato mundial de um brasileiro em um campeonato de monopostos da FIA desde o tricampeonato de Senna, em 1991! Temos muito o que comemorar pessoal, mal posso esperar pela segunda temporada que começa em Outubro!

Corrida de sábado – melhores momentos

Corrida de domingo – melhores momentos

Corrida de domingo – última volta sensacional!

Entrevista Nelsinho Piquet

Momentos da festa de gala, entrega do troféus de campeão da categoria para Nelson Piquet Jr

A Formula E chega ao seu último final de semana repleto de emoções – a começar é claro pela real possibilidade de título do Nelsinho Piquet! Nosso ídolo chega empolgado, embalado pela vitória no último ePrix e pela bela vantagem de 17 pontos para o segundo colocado. Com 60 pontos em jogo, nada está ganho e Nelsinho sabe disso, chega com os pés no chão sabendo que precisa fazer o que vem fazendo, correr de forma limpa, sem se envolver em acidentes.

A programação da rodada dupla será a mesma nos dois dias, a transmissão do treino de classificação e da corrida serão ao vivo pelo canal Fox Sports 1. Confira a programação completa:

Sábado, 27 de Junho

  • Treino livre: 2:15 até 3:00
  • Treino livre: 6:30 até 7:00
  • Classificação: 8:00 (ao vivo no Fox Sports 1)
  • Corrida: 12:00 (ao vivo a partir das 11:30 no Fox Sports 1)

Domingo, 28 de Junho

  • Treino livre: 2:15 até 3:00
  • Treino livre: 6:30 até 7:00
  • Classificação: 8:00 (ao vivo no Fox Sports 1)
  • Corrida: 12:00 (ao vivo a partir das 11:30 no Fox Sports 1)

Este slideshow necessita de JavaScript.

Confira o press release oficial do assessor do Nelsinho, Luis Ferrari:

Nelsinho Piquet quer seguir a receita da temporada para buscar título na Fórmula E em Londres

Líder na classificação, piloto do Nextev TCR pode ser o primeiro brasileiro a erguer título em categoria mundial de monoposto chancelada pela FIA desde 1991

Nelson Piquet Jr era uma criança de seis anos de idade em 1991, ano da última conquista de um brasileiro em campeonato mundial de monoposto chancelado pela FIA. Neste fim de semana, na rodada dupla de encerramento da pioneira temporada da Fórmula E em Londres, ele pode encerrar o jejum iniciado após o tricampeonato mundial de Ayrton Senna na F1.

Líder da temporada com 17 pontos de vantagem sobre o segundo colocado e 23 sobre o terceiro, o brasiliense do Nextev TCR entende que, neste momento decisivo, a chave para a conquista é não inventar e seguir a mesma dinâmica de trabalho adotada ao longo do campeonato.

“Temos feito um trabalho consistente, sem nenhum erro, sem batida nem confusão. É isso que vamos buscar novamente em Londres, sem inventar história”, afirma o competidor do carro #99, que na semana passada teve seu vínculo estendido com a escuderia.

Nelsinho vem de sete top5s nas últimas sete provas, série que inclui as vitórias nos ePrix de Long Beach e Moscou. De quebra, ele venceu as últimas quatro enquetes do Fan Boost, eleição no site oficial da Fórmula E que premia os três competidores mais votados com uma carga adicional de energia em cada um dos dois carros usados nas provas e sustentava a primeira posição na noite de ontem.

Com 60 pontos em jogo no fim de semana decisivo, seis pilotos conservam chances matemáticas de título. A Fórmula E segue o padrão FIA de pontuação (25 pela vitória, 18 para o segundo lugar, 15 para o terceiro etc) e confere ainda dois pontos ao autor da melhor volta da prova e mais três para quem cravar a pole-position.

A pista dos ePrix londrinos foi montada em um traçado de 2,92 km e 17 curvas às margens do rio Tâmisa, no Battersea Park.

As provas de sábado e domingo têm a mesma programação, com dois treinos livres, a tomada de tempo e os ePrix. Os qualificatórios e as corridas acontecem às 8h e 12h (horário de Brasília) e têm transmissão ao vivo pelos canais Fox Sports.

Classificação – Fórmula E (após 9 de 11 etapas):
1. N. Piquet Jr 128

2. L. di Grassi 111
3. S. Buemi 105
4. N. Prost 82
5. J. D’Ambrosio 77
6. S. Bird 68
7. JE Vergne 55
8. A. Felix da Costa 51
9. D. Abt 32
10. N. Heidfeld 31

A Formula E publicou uma matéria sobre as possibilidades de cada um dos seis postulantes ao título. Como o ue nos interessa é o Nelsinho, vou traduzir apenas a parte do que o Nelsinho precisa para ser campeão. Quem quiser ler a matéria toda em inglês, clique aqui

moscow victory 02

No momento seis pilotos possuem chance matemática de título, isso porque na rodada dupla de Londres serão 60 pontos em jogo (25 pontos da vitória, 2 pontos da volta mais rápida, 3 pontos da pole de cada corrida). Os pilotos com chance matemática são:

Nelson Piquet Jr (NEXTEV TCR) – 128

Lucas di Grassi (Audi Sport ABT) – 111

Sebastien Buemi (e.dams-Renault) – 105

Nicolas Prost (e.dams-Renault) – 82

Jerome D’Ambrosio (Dragon Racing) – 77

Sam Bird (Virgin Racing) – 68

Basicamente o Nelsinho tem larga vantagem, só precisa manter a cabeça fria e não se envolver em acidentes. Existe sim a chance dele ser campeão no sábado, porém dependeria de péssimos resultados de Buemi e Di Grassi. Veja a livre tradução do texto das possibilidades de Piquet na matéria da Formula E:

Para Piquet coisas são muito mais simples. Um ponto no sábado, reduz os seus rivais a quatro. Uma pole position ou um terminar no top-10 é o suficiente para dar adeus a Bird.

Pole position e terminar no top-9 mata as esperanças de D’Ambrosio. Mesmo que o belga conquiste sua primeira pole da temporada e ganhe com a volta mais rápida, um top-5 de Piquet é o suficiente para diminuir seus rivais para três apenas.

Se Piquet fizer a pole, um quarto lugar é suficiente para eliminar a esperança de Prost, pois o francês é o único piloto que pode ter uma pontuação eliminada (o seu 10º lugar em Berlim é seu pior resultado). Se Prost conseguir uma pontuação máxima, Piquet terá de terminar no pódio para tirá-lo fora da disputa.

Se Piquet pegar a pole, ele só precisa terminar à frente de Buemi para remover o suíço da disputa, a menos que o piloto e.dams-Renault consiga a volta mais rápida, que dependendo de se ambos estiverem fora dos três primeiros, poderia ser suficiente para manter a esperança viva para outro dia.

Se Buemi fizer a pole, então Piquet precisará marcar mais do que 12 pontos além dele para ganhar o título. Esta é a diferença entre: primeiro e quarto / segundo e quinto / terceiro e nono / quarto e fora dos pontos (abaixo de top-10).

A primeira pole da temporada para Piquet significaria que ele precisaria terminar 10 pontos a frente de di Grassi. Sem definir volta mais rápida, esta é a diferença entre: primeiro e o quarto / segundo e sétimo / oitavo e terceiro / quarto e nono / quinto e fora dos pontos (abaixo de top-10).

Uma pole de di Grassi – também sua primeiro da temporada – aumentaria diferença necessária de Piquet a 14. Esta é a diferença entre: primeiro e o quinto / segundo e nono / terceiro e fora dos pontos (abaixo de top-10). A volta mais rápida de di Grassi njunto com uma pole significaria que mesmo que Piquet ganhe, qualquer posição dentro do top-8 de Di Grassi levaria a disputa final para o Domingo.

Em suma, as chances são firmemente em favor de Piquet, mas se o brasileiro tiver qualquer problema na corrida de sábado, as chanes de Di Grassi e Buemi estariam prestes a voltar com tudo.”

Press release: Luis Ferrari

Este slideshow necessita de JavaScript.


Pedro Piquet compete pela Porsche Mobil 1 Supercup na Áustria e destaca aprendizado

Nelsinho e Pedro Piquet aproveitaram a brecha nos calendários da Fórmula E e da F3 Brasil e aceleraram no último fim de semana nos dois lados do Atlântico. O irmão mais velho avançou para a final nos dois dias de rodada dupla do Global Rallycross Championship em Daytona e é quarto colocado no campeonato, enquanto Pedro fez sua primeira corrida pela Porsche Mobil 1 Supercup na preliminar do GP austríaco de F1, no Red Bull Ring.

Na Flórida, o Ford Fiesta ST #07 preparado pela equipe SHR Rallycross não repetiu a performance da abertura da temporada, em Fort Lauderdale. Depois de uma animadora quarta posição no quali de sábado e do segundo lugar na primeira eliminatória, o rendimento na semifinal não permitiu a Nelsinho ir além da quarta posição. Ele precisou da repescagem para conquistar a vaga na final e terminou a prova decisiva em sétimo.

No domingo ele foi sétimo no quali, terceiro na eliminatória e quinto na semifinal. O time solucionou o problema que o carro apresentava no motor antes da repescagem, para Piquet Jr novamente conquistar uma vaga na final com a quarta posição.

“Largando em último na final sabia que seria difícil, mas o carro reagiu. Consegui uma boa largada e estava em quarto. Mas levei uma batida forte quando um adversário espalhou na curva e minha corrida acabou ali: com o equipamento danificado, completei a prova pensando nos pontos”, contou o brasiliense, que recebeu a bandeirada em sexto.

Nelsinho é agora quarto colocado na tabela de classificação, com 106 pontos. O sueco Sebastian Eriksson lidera com 137, seguido pelos norte-americanos Ken Block (129) e Tanner Foust (120). A próxima etapa do campeonato acontece no feriado americano de 4 de julho na Base Militar de New River.

Após a terceira etapa do Global Rallycross Championship, o piloto viajou para a Espanha. Ele realiza nesta segunda-feira uma bateria no simulador do Nextev TCR em Valencia, visando a rodada dupla de encerramento da temporada da Fórmula E neste fim de semana em Londres. Nelsinho lidera o campeonato com 17 pontos de vantagem sobre o segundo colocado.

Já Pedro Piquet cruzou o oceano no sentido inverso.

O jovem campeão da F3 Brasil assumiu o Porsche #40 da equipe Walter Lechner na etapa austríaca da Porsche Mobil 1 Supercup, preliminar do GP da Áustria de F1. O piloto de 16 anos acelerou em pista seca e molhada, encontrou uma inédita situação de largada e saiu muito contente pela experiência no Red Bull Ring.

“Foi muito legal, o clima de Fórmula 1, tudo muito organizado. A pista era impecável e muito legal. Tivemos um treino no seco, que foi razoável, fui 21º de 28 e era meu primeiro contato com o pneu e a pista e acho que consegui evoluir bem”, relatou o piloto, que participa com o mesmo carro, o Porsche 911 GT3 Cup ‘991’ na temporada 2015 da Porsche GT3 Cup Brasil.

No sábado, o competidor de 16 anos colocou o Porsche #40 na sétima fila. “Na classificação, conseguimos fazer 14º na chuva. Acho que foi uma boa classificação, tanto porque nunca tinha andado em pneu de chuva de lá e também porque tive só meia hora para me adaptar, então fiquei contente”.

“Na corrida tive um pouco de dificuldade porque era largada parada e eu nunca tinha feito esse tipo de largada com esses carros grandes. Só consegui treinar uma vez no treino, então perdi umas duas posições na largada. Na segunda reta tive um toque, que meu carro foi de lado uns 300m e voltou, depois os quatro pneus dechaparam e foi difícil. Mas consegui ir até o final para pegar mais experiência, terminei a prova e o time ficou feliz com tudo. Então vamos ver agora se conseguimos fazer mais algumas etapas da Supercup, para pegar as pistas da Europa”, concluiu Pedro, que recebeu a bandeirada em 27º.

A exemplo do irmão mais velho, ele também tem uma rodada dupla neste fim de semana: disputa a terceira etapa da Fórmula 3 Brasil em Santa Cruz do Sul. Atual campeão da categoria, Pedro Piquet ocupa a terceira posição no campeonato de 2015, com 33 pontos, após duas vitórias e duas quebras nas quatro corridas realizadas neste ano.

Sexta-feira, 19 de Junho

  • Treino livre (round 1) => 12:20
  • Treino livre (round 1) => 14:35
  • Tomada de tempos (round 1) => 16:50
  • Baterias 1A a 1C (round 1) => 18:35
  • Baterias 2A a 2C (round 1) => 19:55

Sábado, 20 de Junho

  • Warm-up (round 1) =>10:20
  • Semifinais (round 1) => 13:00
  • Repescagem (round 1) => 13:40
  • Final (round 1) => 15:00
  • Treino livre (round 2) => 19:10

Domingo, 21 de Junho

  • Treino livre (round 2) => 8:35
  • Baterias 1A a 1C (round 2) => 12:15
  • Semifinais (round 2) => 14:05
  • Repescagem (round 2) => 14:45
  • Final (round 2) => 16:00
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 3.903 outros seguidores