Feeds:
Posts
Comentários

Por Luis Ferrari, assessor do Nelsinho

Copyright: Tom Pennington, Getty Images North America

Copyright: Tom Pennington, Getty Images North America

Brasiliense sobrevive a corrida conturbada com o carro #77 e conquista o melhor resultado da história da Randy Humphrey Racing com o 26º lugar

Nelsinho Piquet sobreviveu a uma corrida marcada por duas intervenções da bandeira vermelha neste domingo em Watkins Glen e terminou sua primeira corrida na Nascar Sprint Cup Series. Ele recebeu a bandeira quadriculada com o Ford Fusion #77 em 26º lugar, o melhor resultado da história do time na mais popular categoria do automobilismo americano.

“Foi um final de semana intenso, cheios de altos e baixos. Passamos por situações bem difíceis para evitar as confusões e no fim do dia 26º não foi tão mal, considerando nossas limitações. O objetivo do time era o 30º lugar, então fico contente por ter superado a meta”, disse o piloto de 29 anos de idade.

A jornada do carro #77 em Watkins Glen foi dificultada por pouco tempo de pista na sexta-feira. O carro passou boa parte dos treinos livres na garagem, o que dificultou o trabalho de Piquet na tomada. Depois de classificar o carro em 32º, Piquet largou duas posições à frente e logo entrou numa estratégia diferente da maioria dos pilotos ao aproveitar a primeira bandeira amarela na volta 11 para fazer seu pit-stop.

A corrida então teve um longo período em bandeira verde. Conforme os adversários faziam suas paradas, Piquet Jr avançava na pista. Ele chegou a andar em 14º. Mas com o passar das voltas o carro #77 não sustentou a posição no top-15.

Com a perda de ritmo, acabou virando retardatário na segunda rodada de pit-stops. Mas a cinco voltas do final Nelsinho conquistou o lucky dog, recuperando a volta do líder para a última relargada da tarde.

“Na prova, nossa estratégia era trabalhar o acerto do carro nas paradas, brigar para permanecer na volta do líder e poupar freios para tentar alguma coisa no final. Deu para cumprir. Foi uma pena que para desviar de um acidente tive um toque na parte final da corrida, então o carro ficou empenado e a partir daí foi questão de sobrevivência apenas”, acrescentou Nelsinho.

Ele foi o primeiro brasileiro a terminar uma corrida da elite da Nascar em 11 anos, mas se disse especialmente satisfeito por voltar ao ambiente da categoria em Watkins Glen –foi sua primeira prova em 2014.

“Com certeza vir aqui e brigar no final do pelotão é uma experiência diferente que brigar pelo título no rallycross. Mas não poderia perder a oportunidade de andar na Sprint Cup e rever todos na Nascar”, completou o piloto.

Ele volta às pistas em duas semanas, para a disputa da sexta etapa do Red Bull Global Rallycross Championship em Daytona.

Por motivos de força maior o post acabou atrasado, já aconteceram os treinos livres. Nelsinho Piquet finalizou em p33 no primeiro treino e p30 no segundo treino. Não é um resultado ruim, uma vez que há pelo menos 20 a 25 pilotos fortes que conhecem bem o carro da Cup – pelo menos seis já foram campeões nos últimos anos e mais uns dez brigaram pelo título. Temos que lembrar que essa é a primeira vez que Nelsinho tem contato com um carro da categoria principal e é um carro de uma equipe nova, que com um outro piloto sequer conseguiu se classificar entre os 43 para uma corrida. Óbvio que todos torcem por uma zebra e que ele figure no victory lane no domingo, mas tenham em mente que um resultado entre os 20, 25 primeiros não deve ser considerado ruim.

Piquet Jr voltando para os boxes após o segundo treino livre (Foto: twitter @TeamRHR)

Piquet Jr voltando para os boxes após o segundo treino livre (Foto: twitter @TeamRHR)

Segue a programação de amanhã e domingo em Watkins Glen:

Sábado, 09 de Agosto  / Saturday, August 9

  • Qualifying => 12:40 (BR) / 11:40 a.m. ET / 16:40 UK

Domingo, 10 de Agosto / Sunday, August 10

  • Race => 14:00 (BR) / 1:00 p.m. ET / 19:00 UK

Transmissão: A corrida será ao vivo para o Brasil no canal Fox Sports 2 /For USA live broadcast on ESPN

Resultado treino 1:

1) Kevin Harvick

2) Jimmie Johnson

3) Brad Keselowski

4) A J Allmendinger

5) Marcos Ambrose

6) Joey Logano

7) Jeff Gordon

8) Ryan Newman

9) Dale Earnhardt Jr.

10) Kyle Busch

33) Nelson Piquet Jr.

 

Resultado treino 2:

1) AJ Allmendinger

2) MarcosAmbrose

3) Kyle Busch

4) Dale Earnhardt Jr.

5) Aric Almirola

6) Clint Bowyer

7) Joey Logano

8) Jimmie Johnson

9) Jamie McMurray

10) Greg Biffle

30) Nelson Piquet Jr.

Nelsinho Piquet fará sua estreia pela categoria principal da NASCAR no próximo domingo, 10 de Agosto, na corrida de Watkins Glen. O brasileiro irá pilotar o Ford #77 da equipe Randy Humphrey.

Piquet lidera o campeonato do GRC (Foto: José Mario Dias / Piquet Sports)

Piquet lidera o campeonato do GRC (Foto: José Mario Dias / Piquet Sports)

No próximo domingo Piquet se tornará o segundo piloto brasileiro na história a participar de uma prova na Sprint Cup. Ele pilotará o carro #77 da equipe Randy Humphrey, que faz sua estreia na categoria em 2014. A equipe se inscreveu para 4 provas nessa temporada com o piloto Dave Blaney, mas não se classificou para a corrida. Em Watkins Glen por enquanto há exatos 43 carros inscritos, portanto é certo que Nelsinho irá largar.

O fato de ser uma equipe sem tradição não deve assustar Piquet, que sempre andou forte na pista de Watkins Glen pela Nationwide series. Em sua estreia em 2010 o piloto também correu com um carro que não tinha tradição e terminou no top-10. Em se falando de Sprint Cup, com as grandes estrelas da Nascar correndo, um top-10 nessa corrida seria um fato histórico. Christian Fittipaldi foi o outro brasileiro a correr na Sprint Cup no começo dos anos 2000 e seu melhor resultado em 16 corridas foi um 24º lugar.

Piquet foi o primeiro brasileiro a vencer uma corrida da Nascar e seu primeiro triunfo se deu em uma pista mista, como é o caso de Glen. Esta será a primeira prova do líder do Red Bull Global Rallycross na temporada 2014 da NASCAR. Ainda não há informações sobre transmissão, em se tratando de Fox Sports não será surpresa se não mostrarem ao vivo. Aguardem o post com as informações de horários e transmissão para maiores informações.

 

 

220747_397096_np14_fiagttest

Sexta, 04 de Julho / Friday, 4th of July

  • Treino livre / practice => 6:45 (Brasil) / 5:45am (USA – ET) / 10:45 (UK)
  • Treino livre / practice => 12:10 (Brasil) / 11:10am (US-ET) / 16:10 (UK)

Sábado, 05 de Julho / Saturday, July 5th

  • Qualifying practice => 4:00 (Brasil) / 3:00am (USA-ET) / 8:00 (UK)
  • Qualifying race => 8:45 (Brasil) / 7:45am (USA-ET) / 12:45 (UK)

Domingo, 06 de Julho / Sunday, July 6th

  • Warm-up =>  4:00 (Brasil) / 3:00am (USA-ET) / 8:00 (UK)
  • Main race (corrida principal) => 6:45 (Brasil) / 5:45am (USA-ET) / 10:45 (UK)

Transmissão: Qualifying race ao vivo sportv 3, corrida principal ao vivo sportv 2. Há ainda a informação na programação oficial de que a corrida principal irá ao vivo na Rede TV, mas não garanto nada…

Broadcast for many countries, find your here => http://www.blancpain-gt-series.com/sprint/gt-tv/tv-schedule

Nelsinho Piquet é o primeiro piloto na história do GRC a disputar as duas categorias, a Supercars (principal) e a Lites. A primeira delas começou o campeonato em Barbados, onde Piquet avançou até a final e terminou em 4º lugar. Já a Lites tem sua primeira corrida nesse final de semana, no Texas. Confira abaixo as fotos dos dois carros, o vermelho com patrocínio da N.O.-Explode na equipe SH Racing Rallycross e o azul, com patrocínio principal da GoPro na equipe Piquet Sports, preparado pela OMSE.

2014-06-05 13.24.16

Como essa etapa é dentro do X Games há algumas mudanças nas regras e programação. Nessa sexta ocorreram as tomadas de tempo, onde Piquet conquistou um par de dois lugares. No sábado a partir das 14:30 (horário de Brasília) acontecem as eliminatórias e a final. Não haverá o LCQ (repescagem) e a final contará com apenas 6 carros (contra 10 nas demais etapas). Para complicar ainda mais, além dos pilotos que disputam o campeonato, há várias estrelas disputando essa etapa no Supercar atrás de medalhas como Travis Pastrana e o atual campeão Toomas Heikkinen.

No Brasil haverá transmissão das eliminatórias e finais dentro da cobertura do X Games, pelo horário 14:30 a previsão é que seja no ESPN+. Confira a lista com o número do canal nas operadoras abaixo:

  • GVT canal 48
  • SKY canal 229
  • NET canal 572
  • Oi TV canal 611
  • Vivo TV canal 862 (satélite) ou 345 (cabo)
  • Claro TV canal 545

Entrevista original em inglês aqui => http://www.motorsport.com/rallycross/news/nelson-piquet-jr-settling-into-new-role-as-a-rallycross-driver/

Nelsinho Piquet em ação no último final de semana (Foto: Divulgação)

Nelsinho Piquet no GRC (Foto: Divulgação)

Livre tradução para o português por Livia Castrioto

Título: Nelson Piquet Jr vai se fixando em um novo papel, de piloto de rallycross

O sincero Nelson Piquet Jr tirou um momento para conversar com o repórter do Motorsport.com Piotrek Magdzriarz durante o World RX no último final de semana em Lydden Hill

Quando Nelson Piquet Jr chegou à Fórmula 1, as expectativas foram as mais altas possíveis, e as comparações com seu pai, três vezes campeão da F1, foram inevitáveis.

Entretanto, o infame “crashgate” lançou a carreira do jovem piloto ao fundo do poço para então se reerguer no mundo da NASCAR.

Agora, ele está se reinventando mais uma vez – seu novo foco é o Global Rallycross Championship. Para ganhar mais milhagem nesse tipo de carro, ele viajou para Lydden Hill, na Inglaterra, para participar do World RX na categoria RX Lites.

Nelson, você sente falta da F1?

“Realmente não”.

Por que?

“Bom, eu fiquei lá por poucos anos. Não foi por muito tempo”.

Em se tratando puramente de corrida, como você compara a F1, a NASCAR e o Rallycross?

“Todas são puramente corrida. Apenas diferentes regras, níveis e ambientes”.

Você foi companheiro de equipe do Fernando Alonso na sua época de Formula 1. Ele é considerado um tipo de piloto que quer que o time gire em torno dele. Teve conflitos com Lewis Hamilton e depois minimizou Felipe Massa na Ferrari. Como era quando ele era seu companheiro de equipe?

“Ele é um piloto muito, muito bom. Ele é bem sucedido pela maneira como ele é – um dos pilotos mais rápidos, esperto. Eu não diria que todos os pilotos deveriam ser como ele, mas em algum momento você precisa ser egoísta, precisa ser ganancioso, mas – você sabe – se você quer ser o melhor, se quer andar na frente, é assim que deve ser”.

Você correu de NASCAR nos últimos anos. É um capítulo encerrado?

“Não, eu apenas tive a oportunidade de fazer a temporada toda do rallycross e na NASCAR eu não teria uma equipe de ponta”.

Muitos pilotos com experiência na Fórmula 1 e em monopostos foi para a NASCAR… Você, Jacques Villeneuve, Dario Franchitti, Juan Pablo Montoya entre outros.

“Você não pode querer comparar Dario Franchitti – que fez apenas uma temporada de Cup sem se preparar para isso e Jacques Villeneuve – que fez apenas umas seis corridas em circuito misto. Não é a mesma coisa do que eu fiz. Quem fez como eu foi o Juan Pablo Montoya… no geral acho que Scott Speed e Montoya – foram os únicos”.

Por que a NASCAR é tão difícil para os pilotos que vêm de monopostos? Qual é a maior dificuldade?

“Os pilotos da NASCAR fazem isso desde que eles nasceram. Não quer dizer que porque você veio da Fórmula 1 você será melhor que todos em tudo. David Coulthard e Ralf Schumacher foram para a DTM e não fizeram p*** nenhuma. As pessoas têm essa mentalidade estúpida de que porque você está na Formula 1 você é o melhor piloto. Isso não quer dizer nada”.

Eu li uma passagem interessante do Karun Chandhok dizendo que guiar vários tipos de carro após deixar a Formula 1 pode fazer de você um piloto melhor.

“A razão pela qual ele se tornou um melhor piloto é porque agora está em algo que é mais o seu nível. Formula 1 não era o seu nível. Ele é um cara legal, o conheço há muito tempo, mas Chandhok não estava em um nível de Formula 1, ele teve acho que uma vitória na GP2 em três anos. Os pilotos precisam achar sua zona de conforto e definitivamente a Formula 1 não era a dele”.

E quanto à você? Aprendeu algo na NASCAR e rallyross?

“Um piloto sempre aprende mais e mais. Hoje estou aprendendo, amanhã estarei aprendendo. Estou melhor do que era há duas semanas atrás, melhor do que eu era no ano passado e estarei melhor cada vez que entrar em um carro”.

Para um piloto do seu nível, fazer o RX Lites não é um retrocesso?

“É muito limitado pensar dessa forma. Aposto que qualquer piloto de F1 que sentar nesse carro não vai bater esses pilotos. Para mim é apenas treino, aprendizado correr contra esses jovens pilotos”.

Seu pai fez a Indy 500. Esta é uma corrida que está na sua lista de desejos?

“Eu faria uma IndyCar, talvez em misto, mas eu jamais sentaria em um carro deles pela primeira vez para uma Indy 500. Por exemplo o que o Kurt Busch fez este ano na minha opinião foi uma loucura total”.

Quais os seus planos para o resto da temporada?

“Rallycross é o principal. Obviamente eu tenho vários finais de semana em aberto, então posso preenche-los com várias coisas”.

Segue release oficial do assessor do piloto. Não há informação de transmissão para o Brasil, porém não deve ser muito difícil conseguir um link para a final que tem transmissão para vários países na Europa. Na medida do possível ajudarei repassando os links que forem encontrados.

Nelsinho Piquet corre prova do Mundial de Rallycross na Inglaterra

Brasileiro aceita convite para competir pela equipe OMSE no RX Lites Cup neste final de semana em Lydden Hill 

Nelsinho Piquet em ação no último final de semana (Foto: Divulgação)

Nelsinho Piquet em ação no último final de semana (Foto: Divulgação)

O rallycross transporta Nelsinho Piquet de uma ilha para outra: direto de Barbados, no Caribe, para o interior do Reino Unido. A boa performance na estreia no GRC rendeu ao brasiliense um convite para disputar a etapa britânica do Mundial de Rallycross da FIA neste final de semana no tradicional circuito de Lydden Hill. Ele vai assumir um dos carros da equipe sueca OMSE na RX Lites Cup.

A participação na categoria introdutória aos eventos internacionais de rallycross faz de Piquet Jr o primeiro piloto brasileiro a competir no Campeonato Mundial chancelado pela FIA.

“Fiquei muito contente com a oportunidade de competir novamente e topei o convite na hora. Morei na Inglaterra, onde fui campeão da F3. Mas já se foram cinco anos desde minha última corrida em solo britânico. Estou ansioso para matar a saudade e aproveitar essa chance também para chegar mais preparado aos XGames. Além disso é uma oportunidade de conhecer de perto a cena do rallycross na Europa e continuar aprendendo”, declarou Nelsinho.

Presente nas programações das provas de rallycross tanto na Europa quanto nos Estados Unidos, a categoria Lite é monomarca, disputada por carros 4×4 com 310 cavalos de potência. Nos dois lados do oceano Atlântico, todos os carros são preparados pela equipe sueca OMSE.

A dinâmica das provas da Lites segue o modelo consagrado nos eventos de rallycross, com diversas baterias eliminatórias classificando para a finalíssima.

São 11 carros inscritos para a RX Lites Cup neste final de semana. Palco da programação do Autosport World RX of Great Britain, o circuito de Lydden Hill tem extensão de 1,1 km, sendo 60% de asfalto e 40% de terra. É o mais curto do Reino Unido e berço do rallycross mundial. Foi lá a primeira corrida da história modalidade, em 1967.

A entrada do competidor brasileiro na corrida deste final de semana foi saudada pelos organizadores. “A lista de inscritos tem nomes expressivos e a chegada de Nelson Piquet Jr é a cereja do bolo. A RX Lites Cup teve uma disputa fantástica na etapa de abertura em Portugal e o ingresso de um nome promissor como o Nelson promete que será ainda mais empolgante em Lydden”, declarou Martin Anayi, diretor da IMG Motorsports para o Mundial de Rallycross da FIA.

No sábado acontece a primeira rodada de eliminatórias. As semifinais e a final estão marcadas para domingo.

CONTATO
Piquet Sports
Luís Ferrari
imprensa@nelsonpiquet.com

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 3.052 outros seguidores